Vocês também já consumiram mais do que deviam?

Eu sempre consumi muito de tudo um pouco, mesmo quando não tinha necessidade de comprar certas coisas, mas sabia dos meus limites.

Comecei a ler sobre o estilo de vida minimalista desde 2015, mas foi o ano passado, quando uma vez num evento precisava escolher um look, e eu fiquei apavorada porque tinha um guarda-roupas cheio e não conseguia encontrar “aquele look”. Fiquei frustrada comigo mesma, porque era tanta roupa, e eu não sabia por onde pegar. Como assim gentxiii???

Foto reprodução | No Noir

Foi então que decidi, vou começar a separar as roupas que realmente preciso e daquelas que nem uso, e vou oferecer, ou seja, era a altura de refazer o meu guarda-roupas urgente, para facilitar a minha vida. Nestas pesquisas, comecei a procurar pela internet “Como ter um guarda-roupa mais funcional?”, e foi aí que encontrei essa palavra mágica: O MINIMALISMO.

Não entendia nada, como é óbvio, mas identifiquei naquele momento que era um estilo de vida que EU queria adoptar.

O minimalismo é um estilo de vida que existe há anos, por isso não é moda nem tendência, é um estilo de vida muito comum no japão, devido ao budismo e a cultura Zen desse povo, onde focam-se prioritariamente no que é necessário para viver. Os japoneses restringem-se a um número mínimo de objectos e dispensam nas suas vidas tudo o que consideram inútil, limitando os bens materiais e espirituais ao que acham verdadeiramente essencial e vivem sob o lema “menos é mais”, em tudo aquilo que consomem, desde arquitectura, moda, lifestyle, etc.

Ainda estou naquele processo de mudança e numa fase de adaptação e identificação deste estilo de vida. Tenho lido bastante e tentado perceber melhor como aplicar isso na minha vida.

A novidade é que agora lá no meu canal do Youtube há uma nova rubrica e já tem vídeo novo, onde vou falar sobre essa minha transição para o estilo minimalista. Espero que vocês acompanhem.